Ciência USP Responde

Vírus é um ser vivo?
Ciência USP Responde

Vírus é um ser vivo?

Como está todo mundo falando da febre amarela, doença causada por vírus (como também zika, caxumba, gripe, aids e muitas outras), logo alguém perguntou: Mas vírus é mesmo um ser vivo? Luiz Tadeu Figueiredo, virologista da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto – USP, responde e põe outros micróbios na conversa.

sabethes - mosquito transmissor do vírus da febre amarela. Ilustração: Daniel Hebling
Ciência USP Responde Especial

Tudo sobre febre amarela

Neste especial do Ciência USP Responde, Marcos Boulos, professor sênior da Faculdade de Medicina da USP e coordenador de Controle de Doenças do estado de São Paulo, explicou que a principal prioridade da campanha de vacinação contra a febre amarela é imunizar todos os habitantes de áreas onde há registros de epizootias. Saiba mais sobre a doença, o vírus e a vacina.

Como se espalha o vírus da febre amarela?
Ciência USP Responde Notícias

Como se espalha o vírus da febre amarela?

O vírus da febre amarela é transmitido aos humanos e aos macacos pelos mosquitos Haemagogus e Sabethes, quando circula pela mata, e pelo Aedes aegypti, quando se espalha pelo meio urbano. Esse ciclo de transmissão é resultado de milhares de anos de evolução. Neste Ciência USP Responde, o médico epidemiologista Expedito Luna, do Instituto de Medicina Tropical de São Paulo, fala um pouco sobre o que a ciência já sabe sobre a transmissão do vírus e o que falta descobrir.

Brasília - Lorrane Paiva partcipa com seu bebê do mamaço”  em plena estação de metrô de Samambaia, como forma de superação ao que ainda resta de preconceito contra um gesto natural. O ato também servirá de abertura para a campanha Incentive a Vida.( Elza Fiuza/Agência Brasil)
Ciência USP Responde

O que são ocitocinas?

As ocitocinas são pequenas moléculas classificadas como neuro-hormônios. Os efeitos hormonais são bem conhecidos: estão presentes no parto e na amamentação. Quando atua como neurotransmissor, a ocitocina ajuda a estabelecer vínculos sociais de afeto, confiança e empatia. Quem fala sobre o assunto neste Ciência USP Responde é Ivana Brito, professora do curso de Obstetrícia da EACH-USP.