Conheça transformações recentes na metrópole de São Paulo

Luciana Royer, Carolina Requena, Eduardo Marques e a jornalista Ana Paula Chinelli conversaram no estúdio da Rádio USP sobre as transformações na metrópole de São PauloA Região Metropolitana de São Paulo é hoje mais diversa do que foi há 20 anos, mas continua profundamente desigual. Essa conclusão e outras pesquisas sobre como as desigualdades – de classe, de raça, de gênero, de educação, de infraestrutura – se reorganizaram durante esse período estão no livro “A Metrópole de São Paulo no Século XXI”, lançado neste mês pelo Centro de Estudos da Metrópole (CEM).

No programa Ciência USP, o organizador do livro, o professor Eduardo Marques, do Departamento de Ciência Política da USP, conversou com a jornalista Ana Paula Chinelli sobre os principais estudos publicados.

Também participaram da entrevista Luciana Royer, docente da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo (FAU) da USP, e Carolina Requena, pesquisadora do CEM. A conversa foi ao ar pela Rádio USP (FM 93,7 MHz) no dia 16 de junho de 2015.

O Núcleo de Divulgação Científica da USP preparou seis podcasts com os melhores trechos da conversa, cada um explorando um aspecto das transformações da metrópole de São Paulo nas últimas décadas. A edição é da jornalista Silvana Salles.

Na primeira parte, Eduardo Marques e Carolina Requena explicam as novas formas como as desigualdades se organizam na metrópole, afetando os espaços e a convivência das pessoas. Eles destacam as mudanças entre os mais ricos e a pouca convivência entre negros e brancos nas classes altas.

 

No segundo podcast, os pesquisadores falam de condomínios de luxo na zona Oeste – região de Barueri e Santana de Parnaíba – construídos em áreas com pouca infraestrutura pública, mas que têm características diferenciadas, como a ausência de calçadas.

 

O terceiro trecho trata do Centro de São Paulo, que atraiu recentemente mais moradores de classes média e baixa, apesar de políticas governamentais que tenderiam à elitização dessa área.

 

No quarto podcast, o assunto é o bairro de Itaquera, que passou de bairro dormitório a uma centralidade importante na Zona Leste.

 

No quinto bloco, Marques fala sobre os limites da metodologia adotada pelo Centro de Estudos da Metrópole nos estudos que deram origem ao livro “A Metrópole de São Paulo no Século XXI” e Luciana Royer comenta as vantagens dos dados do Censo, do IBGE, para a pesquisa científica.

 

Por fim, a última parte do podcast mostra quais são as diferenças entre favelas e loteamentos clandestinos. Os loteamentos clandestinos foram a principal modalidade de moradia precária em São Paulo a partir de meados do século XX. As favelas só ganharam maior importância nos anos 1980. E, desde então, elas também vêm passando por transformações.

 

Os podcasts sobre o livro “A metrópole de São Paulo no século XXI” também estão disponíveis no Soundcloud.

Os comentários estão fechados